sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A Terra tem vomitado os seus moradores


“Com nenhuma destas coisas [traição conjugal, idolatria, homossexualismo, zoofilia,...] vos contaminareis, porque com todas estas coisas se contaminaram as nações que eu lanço de diante de vós. E a terra se contaminou; e eu visitei nela a sua iniqüidade, e ela vomitou os seus moradores. Porém vós guardareis os meus estatutos e os meus juízos, e nenhuma destas abominações fareis, nem o natural, nem o estrangeiro que peregrina entre vós; porque todas estas abominações fizeram os homens desta terra que nela estavam antes de vós; e a terra se contaminou. Não suceda que a terra vos vomite, havendo-a vós contaminado, como vomitou o povo que nela estava antes de vós” (Lv 18:25-28).

Se lermos com atenção o texto sagrado veremos a ligação entre o “visitar” de Deus e o “vomitar” da Terra. É o grande Governador do universo quem decide os limites da conduta pecaminosa de Suas criaturas racionais (anjos e homens rebeldes). Quando eles ultrapassam tais beiras, caem na ação punitiva de Deus que também pode ser entendida como as consequências ou a colheita de nossas escolhas pessoais. 

Contudo, uma pergunta me incomodava: Deus faz os fenômenos naturais destrutivos aparecerem? Quero dizer, Deus faz as equações matemáticas (veja como exemplo Jó 28:26) que permeiam a Natureza truncarem, resultando no caos? Seria isso o “vomitar” da Terra também?

Ora, se Deus é o responsável pelos fenômenos naturais, precisamos corrigir a expressão natural pela sobrenatural. No entanto, Deus é o Criador. E assim como não é errado afirmar que “Deus nos deu a melancia” ou “Jesus enviou esta bela manhã ensolarada”, do mesmo modo é razoável afirmar que o Criador age através do vento, do trovão, da chuva, do terremoto, etc., sem pender para o panteísmo. A Natureza e tudo o que Deus criou é parte da intersecção entre o natural e o sobrenatural! Não é possível uma separação das duas coisas; esse “milagre” da separação só acontece numa mente ateísta! “Eu [JAVÉ] vos darei as vossas chuvas a seu tempo; e a terra dará a sua messe, e a árvore do campo, o seu fruto” (Lv 26:4). “Guardai-vos não suceda que o vosso coração se engane, e vos desvieis, e sirvais a outros deuses, e vos prostreis perante eles; que a ira de JAVÉ se acenda contra vós outros, e feche Ele os céus, e não haja chuva, e a terra não dê a sua messe, e cedo sejais eliminados da boa terra que JAVÉ vos dá.” (Dt 11:16 e 17).

Deus faz a Natureza vomitar o ser humano de si! A Bíblia assim o diz. O Dilúvio (Gn 7 e 8) é outra grande evidência disso. Não obstante, receio que nem sempre seja possível sabermos diferenciar sempre, com precisão, com provas, quando a Terra vomita (1) pela ação divina, (2) por ela mesma e (3) pela ação dos anjos maus.

Deus e o vomitar da Terra “Assim como JAVÉ se alegrava em vós outros, em fazer-vos bem e multiplicar-vos, da mesma sorte JAVÉ se alegrará* em vos fazer perecer e vos destruir; sereis desarraigados da terra à qual passais para possuí-la. JAVÉ vos espalhará entre todos os povos, de uma até à outra extremidade da terra” (Dt 28:63 e 64). O povo de Israel no deserto teve a oportunidade de conhecer de perto o caráter de Deus, bem como os que professam o cristianismo e examinam as Escrituras. Como um pai apaixonado, mas equilibrado, JAVÉ instruiu Israel, revelou Seus planos para ele, concedeu Suas maravilhas e ofereceu Sua força e ilimitados recursos. Deus deixou claro que faria de tudo para amar, ensinar, transformar, ajudar, entender a Israel, além de respeitar suas escolhas individuais e como povo. Mas, tão claro quanto, Ele demonstrou: “Eu, JAVÉ, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isto para dar a cada um segundo o seu proceder, segundo o fruto das suas ações” (Jr 17:10). A regrinha básica da liberdade jamais seria transgredida – nem Deus forçaria Seus filhos, nem Seus filhos forçariam Deus! Como conhecemos, a escolha de Israel (como povo) foi buscar a Deus aparentemente, teoricamente, mas rejeitá-Lo nas práticas! E Ele, por conseguinte, naturalmente (ou sobrenaturalmente) fez com que a terra engolisse pessoas (Nm 16:30-33), fez com que a chuva não caísse por vários anos gerando, certamente, problemas mortais (I Rs 17:1; Is 5:6), enviou pragas e animais para causar mortes e dificuldades (Nm 21:6, 25:9 e Jl 1:4). 

Caso você ache difícil* enxergar a regrinha básica da liberdade nesses eventos punitivos vindos diretamente da parte de Deus, raciocine comigo: Deus não fez a terra vomitar todas as nações, mas somente aquelas que possuíam informações o suficiente da Sua vontade e das Suas Leis! Ou seja, assim como o Criador e Chefe dos anjos, o Anjo JAVÉ (ou de JAVÉ), mais conhecido como Jesus Cristo, fez o Céu vomitar Lúcifer e seus seguidores (Ap 12:7-9), por escolherem a rebeldia como estilo de vida (veja isto em I Jo3:8 e Jo 8:44), Ele usa o planeta para devolver ao homem (pelo menos em parte) o mal que ele costumeiramente praticou contra seu próximo, sua família e o meio ambiente! “Portanto, farei estremecer os céus; e a terra será sacudida do seu lugar, por causa da ira* de JAVÉ dos Exércitos e por causa do dia do seu ardente furor” (Is 13:13). Lembre-se também de que foi Deus quem “deparou ... um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites no ventre do peixe” e em seguida “falou, pois, JAVÉ ao peixe, e este vomitou a Jonas na terra” (Jn 1:17 2:10). (*Retire sua dificuldade e descubra profundamente o que essas fortes afirmações significam lendo os artigos "Um Deus que incita a vingança e a crueldade?! PARTE 1 e PARTE 2"; "O que é a Justiça de Deus?" e "Estudo Bíblico sobre a Predestinação em slides").

A Natureza e o vomitar da Terra “Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora” (Rm 8:22). “A terra andará cambaleando como um bêbado; será sacudida de um lado para outro como uma barraca na ventania. Os pecados que a terra carrega são tão pesados, que ela cai e não consegue se levantar.” (Is 24:20, NTLH). “Na verdade, a terra está contaminada por causa dos seus moradores, porquanto transgridem as leis, violam os estatutos e quebram a aliança eterna” (Is 24:5). É como se, mesmo após o pecado, as “leis” (Jó 28:26) matemáticas do mundo natural ainda possuíssem certa integridade; mas, quando algumas variáveis (ações pecaminosas insuportáveis e/ou o acúmulo delas!) são impostas a essas equações, a própria Natureza revida! Exemplos: “E Jesus, clamando outra vez com grande voz, entregou o espírito. [...] tremeu a terra, fenderam-se as rochas” (Mt 27:50 e 51). Doenças vindas dos reinos animal e vegetal para a humanidade, “epidemias” (Lc 21:11). “Bramido do mar e das ondas” (:25).

Os anjos maus e o vomitar da Terra A Bíblia é clara ao evidenciar o uso malévolo que os anjos caídos fazem dos (e nos) elementos e das criaturas naturais: a voz da serpente para enganar Eva (Gn 3); a imitação das duas primeiras pragas divinas sobre o Egito – água, sangue e rãs (Êx 7 e 8); fogo sem origem natural mas que queima naturalmente (Jó 1:16); ventos que destroem construções humanas (:19); doença (2:7), aparição a um ser humano do nada,  além de carregá-lo por certa distância (Mt 4:3 e 5) e aparição usando uma fisionomia humana ainda viva (possessão) ou já morta (espiritismo)! Confira o rei de Tiro (Ez 28:1-5 e 11-15) e a feiticeira de En-Dor (I Sm 28:13-15) como exemplos.

Mas, como mencionei anteriormente, pode-se facilmente confundir a origem dos exemplos citados (se gerados por (1), (2) ou (3) acima!), devido, principalmente, a linguagem dos escritores bíblicos. Contudo, independente de sua origem (de Deus, do mal ou dela própria), o vomitar da Terra existe e atinge os pecadores, mesmo os arrependidos e tementes a Deus: Jó (tumores satânicos), Jesus (mesmo sem pecado, mesmo sendo também Deus, foi carregado por Satanás), os discípulos (tempestade), Paulo (naufrágio), dezoito judeus vítimas fatais de um desabamento (Lc 13:4), etc.

ConclusãoO Senhor lhe disse: ‘Saia e fique no monte, na presença do Senhor, pois o Senhor vai passar’. Então veio um vento fortíssimo que separou os montes e esmigalhou as rochas diante do Senhor, mas o Senhor não estava no vento. Depois do vento houve um terremoto, mas o Senhor não estava no terremoto. Depois do terremoto houve um fogo, mas o Senhor não estava nele. E depois do fogo houve o murmúrio de uma brisa suave. Quando Elias ouviu, puxou a capa para cobrir o rosto, saiu e ficou à entrada da caverna. E uma voz lhe perguntou: ‘O que você está fazendo aqui, Elias?’” (I Rs 19:11-13, NVI). Se não era JAVÉ quem estava no “vento fortíssimo” capaz de esmigalhar “as rochas” e separar “os montes”, quem ou o que estava? Se o Todo-poderoso não foi o responsável pelo terremoto, quem ou o que o originou? E o incêndio?? Segundo o que acabamos de estudar, podemos afirmar biblicamente que, ou foram os anjos maus ou as leis matemáticas perturbadas, truncadas, da própria Natureza! É claro que podemos asseverar que o grande Governador de todo o universo (o que inclui nosso planetinha aqui!) permite tais eventos naturais (ou sobrenaturais) catastróficos ou diretamente os realiza através de Seus anjos leais. No entanto podemos errar acintosamente ao afirmar uma coisa ou outra sem o devido respaldo bíblico-científico, é só lembrar a bronca que JAVÉ deu em Seu filho Jó por este O acusar injustamente (Jó 38-41)!

O mais importante é não contribuir para “o vomitar da Terra”, obedecendo às leis criadas pelo grande Deus, tantos às leis naturais, como às morais (os Dez Mandamentos) e às de saúde e profilaxia (por exemplo Lv 11 e Dt 14), e isso vale para todos os que professam o cristianismo! “Porque o Senhor, JAVÉ dos Exércitos, é o que toca a terra, e ela se derrete, e todos os que habitam nela se enlutarão; ela subirá toda como o Nilo e abaixará como o rio do Egito. Deus é o que edifica as suas câmaras no céu e a sua abóbada fundou na terra; é o que chama as águas do mar e as derrama sobre a terra; JAVÉ é o seu nome. [...] Eis que os olhos de JAVÉ Deus estão contra este reino pecador, e eu o destruirei de sobre a face da terra; mas não destruirei de todo a casa de Jacó, diz JAVÉ. Porque eis que darei ordens e sacudirei a casa de Israel entre todas as nações, assim como se sacode trigo no crivo, sem que caia na terra um só grão. Todos os pecadores do meu povo morrerão à espada, os quais dizem: O mal não nos alcançará, nem nos encontrará” (Am 9:5-10).

Jesus, o Governador do universo, está voltando ao planeta Terra e os que contaminam sua família, sua vida e seu ambiente sofrerão com o mais terrível vômito da Terra de todos os tempos, o Dilúvio parecerá uma torneirinha vazando água diante da volta do Rei Jesus Cristo! Preparemo-nos para prestar contas daquilo que Ele nos deu para administrarmos (Am 4:12). Hendrickson Rogers                

Compartilhe com os seus o que lhe interessa!

PDF e/ou impressão:

Print Friendly and PDF
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Envie este artigo para seus seguidores!

Locais dos Estudantes de hoje:

podcasting